Crianças do Futuro

Crianças do Futuro foi um Núcleo Criativo montado para o para desenvolvimento de duas séries animadas, Jamila, Aprendiz de Astronauta e Hyperpilotos, ambas voltadas para o público infanto-juvenil e com temática futurista e sci-fi. Os projetos foram elaborados por duas equipes de roteiristas baianas em processos que resultaram na escrita do primeiro tratamento de oito roteiros, dezesseis escaletas e duas bíblias de venda.  O projeto foi realizado pelo roteirista Marcelo Lima e produzido por Flávia Santana (Giro Planejamento Culural) e teve apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Conheçam abaixo um pouco sobre as séries desenvolvidas!

Criado por Marcelo Lima

Design de Personagens por Renato Barreto 

FORMATO: 26 episódios de 07 minutos 

GÊNERO: Sci-Fi Afrofuturista

PÚBLICO-ALVO: 4 a 6 anos + família e todo mundo que sempre sonhou em explorar os cosmos e ter amigos alienígenas

 

LOGLINE

Uma menina aprende a ser astronauta com a sua mãe, enquanto vive aventuras e ajuda habitantes de planetas inspirados em países africanos e culturas afrobrasileiras.

ARGUMENTO GERAL DA SÉRIE 

Em um futuro distante, a galáxia de Ubuntu reúne diversos planetas que cooperam para o avanço de suas culturas e sociedades segundo o lema "Sou o que sou pelo que nós somos". Os Astronautas de Ubuntu formam um grupo de assistência que atende a chamados de ajuda e enfrentam desafios das mais variadas formas: desde ajudar um gato-robô a descer de um drone descontrolado até fechar um buraco negro chorão. E é por conta dessas aventuras cheias de adrenalina que a pequena Jamila, uma menina genial de 7 anos de idade, sonha em se tornar uma Astronauta como a sua mãe, Tereza. Acompanhada de seu robô-aranha-impressora Ananzz3 e do seu melhor amigo e primo, o menino-ciborgue Akin, Jamila embarca por acidente na nave de sua mãe pouco antes dela partir em missão. Tereza encontra a filha e o sobrinho quando já estão no espaço. Tereza repreende Jamila, mas não tem alternativa a não ser levá-la pelos mais diversos planetas de Ubuntu, ajudando pessoas das mais diversas etnias planetárias. A Galáxia de Ubuntu é formada por planetas com habitantes negros, de várias tonalidades de pele, além de criaturas míticas inspiradas nas lendas africanas e afrobrasileiras. O universo ficcional da série apresenta tecnologia futurista, com naves à velocidade da luz, e a brigada de astronautas é a principal força de proteção e assistência, verdadeiros heróis de Ubuntu.

FICHA TÉCNICA:

Roteirista-Chefe: Marcelo Lima

Roteiristas Colaboradores: Ana do Carmo, Igor Correia, Marcos Alexandre e Taís Amordivino

Arte Conceitual: Renato Barreto

Produtora: Flávia Santana

ORÇAMENTO (grandes itens)

​Desenvolvimento: R$306.000,00

Pré-produção: R$824.000,00

Produção: R$918.000,00

Pós-produção: R$439.000,00

Despesas Administrativas: R$137.000,00

Gerenciamento: R$30.000,00

TOTAL: R$2.654.000,00

 

CRONOGRAMA

Desenvolvimento: 6 MESES

Pré-produção: 3 MESES

Produção: 10 MESES

Pós-produção: 2 MESES

Criado por Lara Carvalho e Marcelo Lima

Design de personagens por Renato Barreto

FORMATO: 10 episódios de 22 minutos
GÊNERO: Ficção Científica Esportiva
PÚBLICO-ALVO: Série voltada para o público infantojuvenil, a partir dos 7 anos de idade, e para fãs de cartoons, corrida e games.

LOGLINE
No futuro, um grupo de crianças participa de corridas da Hyperfórmula, o eSport mais popular do planeta. Enquanto disputa para se tornar campeã, a hyperpiloto Bel e seus colegas da Equipe Sônica lidam com as pressões do esporte.

 

ARGUMENTO GERAL DA SÉRIE

No futuro, a popularidade dos esportes tradicionais foi superada pela dos eSports e a Hyperfórmula é o mais adorado deles. Nesta modalidade, as crianças, chamadas de hyperpilotos, controlam carros supersônicos customizáveis a partir de uma câmara de realidade virtual e percorrem pistas virtualizadas cheias de perigos e obstáculos. BEL, menina negra de 11 anos, sonha em ser uma hyperpiloto deste elitista eSport, mas é uma humilde filha de uma mecânica de corrida. Quando sua mãe, RITA, é contratada pela equipe Sônica, ela a acompanha para conhecer os bastidores do eSport. Minutos antes da primeira corrida do Campeonato de Hyperfórmula Teens, um dos pilotos da Sônica anuncia sua saída. Os técnicos, desesperados, são surpreendidos pela destreza que Bel demonstra enquanto brinca com um protótipo de câmara virtual que sua mãe está construindo para a equipe. Bel acaba sendo colocada para correr como substituta e seu desempenho a faz ser convidada para integrar a Sônica. Bel aproveita a chance do destino para se provar como hyperpiloto. Porém, grandes responsabilidades trazem grandes dores de cabeça – como a pressão pela vitória, o cansaço, a exposição da vida pública e a necessidade de conciliar o esporte com a vida escolar. Com o apoio de sua mãe e com a amizade de TESS e DUDU, seus colegas de equipe, Bel vai lutar para conquistar seu sonho.

Ficha Técnica:

Roteiristas-Autores: Lara Carvalho e Marcelo Lima

Arte Conceitual: Renato Barreto

Produtora: Flávia Santana

ORÇAMENTO (grandes itens)
Desenvolvimento: R$250.000,00
Pré-produção: R$723.000,00
Produção: R$1.102.000,00
Pós-produção: R$533.000,00
Despesas Administrativas: R$137.000,00
Gerenciamento: R$30.000,00
TOTAL: R$2.775.000,00

CRONOGRAMA
Desenvolvimento: 6 MESES
Pré-produção: 3 MESES
Produção: 12 MESES
Pós-produção: 2 MESES